A verdade sufocada

Iminência de novos sentidos sobre a ditadura

  • Maria Magda de Lima Santiago FALE POSLIN UFMG
  • Magali Simone de Oliveira CEFET MG
Palavras-chave: Ditadura, representações sociais, ethos, narrativas de vida

Resumo

Este artigo buscou analisar que representações sociais da ditadura militar (1964-1985) são construídas a partir de fragmentos de narrativas de vida (MACHADO, 2015) do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra (2006); de excertos biográficos de três vítimas deste oficial – considerado um dos maiores torturadores desse período – e de estilhas de declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que tem no coronel uma espécie de ídolo. Pretendeu-se distinguir, na análise do ethos (MAINGUENEAU, 2013), em que medida esses imaginários sociodiscursivos (CHARAUDEAU, 2015) criados para a ditadura, servem de alerta para o risco iminente de uma tentativa de imposição de novos sentidos para a história brasileira do período.

Biografia do Autor

Magali Simone de Oliveira, CEFET MG

Doutoranda no CEFET MG

Referências

ARFUC. Leonor. O Espaço Biográfico. Dilemas da Subjetividade Contemporânea. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 2010.

AZEVEDO, Reinaldo. Quando os esquerdistas mataram os próprios companheiros. Veja, 22 fev. 2017. Disponível em: https://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/quando-os-esquerdistas-mataram-seus-proprios-companheiros/. Acesso em: 26 maio 2019.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Ed. Hucitec, 1995.

BIOGRAFIA de um jornalista. Instituto Vladimir Herzog, s/d. Disponível em: https://vladimirherzog.org/biografia/. Acesso em: 26 jun. 2019.

BOLSONARO determinou que Defesa faça as ‘comemorações devidas’ do golpe de 64, diz porta-voz. G1, 25 mar. 2019. Disponível em:
https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/03/25/bolsonaro-determinou-que-defesa-faca-as-comemoracoes-devidas-do-golpe-de-64-diz-porta-voz.ghtml. Acesso em: 26 maio 2019.

BOLSONARO homenageia torturador em seu voto pelo impeachment. Rede brasil atual, 18 abr. 2016. Disponível em: ttps://www.redebrasilatual.com.br/politica/2016/04/bolsonaro-homenageia-torturador-em-seu-voto-pelo-impeachment-2649.html. Acesso em: 23 maio 2019.

BONIM, Robson. STF rejeita ação da OAB e decide que a Lei da Anistia vale para todos. G1, 29 abr. 2010. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/04/stf-rejeita-acao-da-oab-e-decide-que-lei-da-anistia-vale-para-todos.html. Acesso em: 22 maio 2019.

CHARAUDEAU, Patrick. Identidade linguística, identidade cultural: Uma relação paradoxal. In: LARA, G.P, LIMBERTI, R.P. Discurso e [des] igualdade social. São Paulo: Ed. Contexto, 2015.

________. Discurso Político. São Paulo: Ed. Contexto, 2011.

DEFENSOR da ditadura, Jair Bolsonaro reforça frase polêmica: “o erro foi torturar e não matar”. Jovem Pan, 8 jul. 2016. Disponível em:
https://jovempan.uol.com.br/programas/panico/defensor-da-ditadura-jair-bolsonaro-reforca-
frase-polemica-o-erro-foi-torturar-e-nao-matar.html. Acesso em: 26 maio 2019.

ERNESTO, Marcelo. Fundação João Pinheiro cancela aulas após vídeo de Bolsonaro com ‘mensagem’ a professores. Estado de Minas, 30 out. 2019. Disponível em:
https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2018/10/30/interna_politica, 1001648/fundacao-joao-pinheiro-cancela-aulas-apos-video-de-bolsonaro-com-mens.shtml. Acesso em: 22 maio 2019.

FOUCAULT, Michael. Vigiar e Punir. Petrópolis, RJ: Ed. Vozes, 1977.

MACHADO, Ida Lúcia. Narrativa de vida e construção da identidade. In: LARA, G.P, LIMBERTI, R.P. Discurso e [des] igualdade social. São Paulo: Ed. Contexto, 2015.

MAINGUENEAU, Dominique. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, Ruth. (Orgs.) Imagens de si no discurso: a construção do ethos. São Paulo: Ed. Contexto, 2013.

MENDES, Priscila. Durante depoimento de Ustra, comissão aponta 50 mortes no DOI. G1, 10 maio 2013. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/05/durante-depoimento-de-ustra-comissao-aponta-50-mortes-no-doi.html. Acesso em: 23 maio 2019.

MORO propõe lei que isenta pena de policial que matar em serviço. O Tempo, 4 fev. 2019. Disponível em: https://www.otempo.com.br/capa/pol%C3%ADtica/moro-prop%C3%B5e-lei-que-isenta-pena-de-policial-que-matar-em-servi%C3%A7o-1.2131310. Acesso em: 26 maio 2019.

ORLANDI, P. Eni. As formas do Silêncio: Nos movimentos dos sentidos. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2007.

TAVARES, Flávia. Olavo de Carvalho, o guru da direita que rejeita o que dizem seus fãs. Época, 23 nov. 2018. Disponível em: https://epoca.globo.com/olavo-de-carvalho-guru-da-direita-que-rejeita-que-dizem-seus-fas-23254692. Acesso em: 23 maio 2019.

USTRA, Carlos Alberto Brilhante. A Verdade sufocada: A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça. Brasília, DF: Ed. Ser, 2006.

________. Rompendo o Silêncio. Brasília. DF: Editerra, 1987.
Publicado
2020-04-24