As Narrativas do pós-armário no YouTube

Discurso, Cultura e Subjetividades

  • Venan Lucas de Oliveira Alencar UFMG
  • Daniel Mazzaro Vilar de Almeida UFU
Palavras-chave: Análise do Discurso, Pós-armário, Cultura gay, Narrativas de vida, YouTube

Resumo

As narrativas de vida, enquanto modos possíveis de apreendermos discursivamente as subjetividades dos sujeitos da nossa sociedade, podem nos fornecer dados culturais interessantes sobre determinados grupos sociais. Neste estudo, partimos precisamente de um suporte digital onde as narrativas de si se encontram predominantemente disponibilizadas: o YouTube. Nossos sujeitos-objeto são homens gays que discorrem sobre o modo como experienciam suas vidas enquanto sujeitos já assumidos, ou seja, como lidam com as atuais problemáticas do que chamam de comunidade gay após terem “saído do armário”. Acreditamos que, ao falarem de si, tais sujeitos suscitam discursivamente aspectos relevantes da vida de um grupo minorizado, reativando sua memória para falar inclusive do “armário” e, assim, construírem um entendimento progressivo de suas subjetividades. Analisamos dois vídeos de YouTubers (um brasileiro e um estadunidense) e, a partir do que é relatado por eles, elencamos algumas discussões particulares e comuns. Partimos de uma filiação teórica da Análise do Discurso de vertente francesa, de estudos foucaultianos e dos Estudos de Gênero e Sexualidade empreendidos sobretudo por Halperin (2012) e Rubin (2017). Esperamos, desse modo, ampliarmos as noções sobre narrativas e sua aplicabilidade a suportes digitais, além de fortalecermos o diálogo entre Análise do Discurso e Estudos de Gênero.

Referências

XXXXXX, 2017.

XXXXXX, 2016.

BURGESS, J.; GREEN, J. YouTube e a Revolução Digital: como o maior fenômeno da cultura participativa transformou a mídia e a sociedade. Tradução Ricardo Giassetti. – São Paulo : Aleph, 2009.

ERIBON, D. Reflexões sobre a questão gay. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2008.

ESCARIÃO, Fernando. 50 fatos sobre mim - Fernando Escarião. 2014. (9m28s). Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2019.

ESCARIÃO, Fernando. À procura da felicidade! 2015. (11m55s). Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2019.

FOUCAULT, M. “The Gay Science,” trans. Nicolae Morar and Daniel W. Smith, Critical Inquiry, 37.3 (Spring 2011), 385-403.

FRANÇA, Isadora Lins. Consumindo lugares, consumindo nos lugares: homossexualidade, consumo e subjetividades na cidade de São Paulo. 2010. 291 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. 2010.

HALPERIN, David M. Saint Foucault: Towards a Gay Hagiography. Oxford University Press. New York, NY, 1995.

HALPERIN, David. M. How to be gay. Cambridge, Massachusetts: Belknap Press, 2012.

HOGAN, Dillon Kenneth. Things I Hate About Being Gay. 2017. (6m47s). Disponível em: . Acesso em: 3 abr. 2019.

HOGAN, Dillon Kenneth. I worked out and I almost died. 2018. (10m03s). Disponível em: Acesso em: 3 abr. 2019.

HOOKS, b. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.
MACHADO, I. L. Histórias discursivas e estratégias de captação do leitor. Revista Diadorim. Rio de Janeiro, v. 10, p. 59-74, dez. 2011.

MACHADO, I. L. Algumas reflexões sobre elementos de base e estratégias da Análise do Discurso. Revista Estudos da Linguagem. Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 187-207, jan./jul. 2012.

MACHADO, I. L. A ‘narrativa de si’ e a ironia: um estudo de caso à Luz da Análise do Discurso. Cadernos Discursivos. Catalão-GO, v. 1, n. 1, p. 1-16, ago./dez. 2013.

MACHADO, I. L. Percursos de vida que se entremeia a percurso/ s teóricos. In MACHADO, I. L.; SANTOS, S. P.; MENEZES, W. A. Discurso, Identidade, Memória. Fortaleza: Expressão Gráfica Editora, 2015, p. 83-96.

MORRISON, P. Muscles, In: ______. The Explanation for Everything: Essays on Sexual Subjectivity. New York: New York University Press, 2001, pp. 113-139.

PRINGLE, R. “Bitching: Relations Between Women in the Office,” Secretaries Talk: Sexuality, Power & Work. Sydney: Allen & Unwin, 1988, p. 231-249.

Site Yagg. Entrevista com Michel Foucault ao Gai Pied em 1981. Disponível em: http://yagg.com/2015/01/26/michel-foucault-%E2%80%A8de-lamitie-comme-mode-de-vie-entretien-au-gai-pied-1981/. Acesso em: 10 abr. 2019.
Publicado
2020-05-04