“O que é ser homem para você?”:

as representações de si e do outro em o beijo da Mulher Aranha

Autores

  • Mariana Waskow Radünz Universidade Federal de Pelotas/Mestranda em Letras (Linha de Pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução)
  • Jessé Carvalho Lebkuchen Universidade Federal de Pelotas/Mestrando em Letras (Linha de Pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução)
  • Aracy Graça Ernst Universidade Católica de Pelotas/Professora titular da Universidade Católica de Pelotas

Palavras-chave:

O Beijo da Mulher Aranha, Émile Benveniste, Teoria da Enunciação, Gênero, Sexualidade

Resumo

Resumo: Este artigo tem como objetivo analisar como se constroem as representações do eu e do outro nos enunciados produzidos no romance O Beijo da Mulher Aranha (1976), de Manuel Puig. Para tanto, utiliza como embasamento teórico, sobretudo, a Teoria da Enunciação, de Émile Benveniste, pois leva em consideração o homem e sua subjetividade na sua articulação com a linguagem e a produção do discurso, além de Judith Butler, nas discussões de gênero e sexualidade. Percebe-se que os personagens constituem suas subjetividades a partir de uma constante interação discursiva, na qual questões relativas principalmente ao gênero e à sexualidade são discutidas, fazendo com que representações distintas de si e do outro sejam delineadas. Isso possibilita pensar que o enunciar os forma como sujeitos sociais, sendo assim um processo contínuo por meio do qual suas identidades são expostas e construídas em conjunto.

Biografia do Autor

Mariana Waskow Radünz, Universidade Federal de Pelotas/Mestranda em Letras (Linha de Pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução)

Mestranda em Letras (Linha de pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução) na Universidade Federal de Pelotas. Graduada em Letras - Português e Alemão pela Universidade Federal de Pelotas. Bolsista de Mestrado (CAPES).

Jessé Carvalho Lebkuchen, Universidade Federal de Pelotas/Mestrando em Letras (Linha de Pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução)

Mestrando em Letras (Linha de pesquisa: Literatura, Cultura e Tradução) na Universidade Federal de Pelotas. Graduado em Letras - Português e Espanhol pela Universidade Federal de Pelotas. Bolsista de Mestrado (CAPES).

Aracy Graça Ernst, Universidade Católica de Pelotas/Professora titular da Universidade Católica de Pelotas

Professora titular da Universidade Católica de Pelotas. Doutora em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Referências

BENVENISTE, É. Problemas de linguística geral I. 2. ed. Campinas: Pontes, 1988.

BENVENISTE, É. Problemas de linguística geral II. Trad. Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1989.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 8.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CAVALHEIRO, J. Enunciação e literatura: contribuições da teoria da linguagem e do estudo dos pronomes de Émile Benveniste. ReVEL. Mato Grosso do Sul. Edição especial, n. 11, p. 84-97, 2016. Disponível em: <http://www.revel.inf.br/files/cb19252ea67ea8b94ebb4057db3b3e0f.pdf>. Acesso em: 28 jun. 2019.

FIORINI, J. Mulher aranha, mulher Molina: homocultura e performance de gênero em O beijo da mulher aranha. Memento - Revista de Linguagem, Cultura e Discurso. Três Corações, v. 7, n. 1, p. 1-12, jan./jun. 2016. Disponível em: <http://periodicos.unincor.br/index.php/memento/article/view/2541>. Acesso em: 18 fev. 2019.

HENGE, G. Texto e interpretação: aproximações entre análise do discurso e literatura. Interletras. Mato Grosso do Sul, v. 3, n. 20, p. 1-9, out. 2014/mar. 2015. Disponível em: <https://www.unigran.br/interletras/ed_anteriores/n20/artigos/18.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2019.

KNACK, C. Émile Benveniste e a linguística do discurso: repercussões no campo dos estudos textuais no Brasil. Entretextos. Londrina, v. 13, n. 1, p. 308-333, jan./jun. 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/14749>. Acesso em: 18 fev. 2019.

MANRIQUE, J. Maricones eminentes. Bogotá: Punto de Lectura, 2010.

MELLO, R. “Análise do discurso e literatura: uma interface real”. In: MELLO, R. (Org.). Análise do discurso e literatura. Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso, Programa de Pós-graduação em Estudos Linguísticos, Faculdade de Letras da UFMG, 2005.

PUIG, M. O beijo da mulher aranha. Trad. Gloria Rodríguez. 2.ed. Rio de Janeiro: Codecri, 1980.

WOODWARD, K. “Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual”. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. In: SILVA, T. (Org.); HALL, S.; WOODWARD, K. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15.ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2020-04-24

Como Citar

Waskow Radünz, M., Carvalho Lebkuchen, J., & Graça Ernst, A. (2020). “O que é ser homem para você?”:: as representações de si e do outro em o beijo da Mulher Aranha. Gláuks - Revista De Letras E Artes, 19(1), 239-253. Recuperado de https://revistaglauks.ufv.br/Glauks/article/view/120