Narrativas de vida da população LGBTQI+

identidades desviantes e alteridades segregadoras

  • Alexandre Marcelo Bueno UNIFRAN
  • Felipe Santos da Silva
Palavras-chave: Identidade de gênero, Sociossemiótica, Sexualidade, Descoberta

Resumo

O presente artigo tem por objetivo contribuir para os estudos sobre o tema de identidade de gênero, relacionando-o com a teoria e o método da semiótica de linha francesa e o campo de estudos sobre sexualidade e gênero. Para tanto, foram colhidos e gravados depoimentos de acadêmicos que relatam suas vivências e experiências no que tange às suas negações e (re)descobertas identitárias. Apresentaremos nesse estudo um recorte com fragmentos dos depoimentos de dois sujeitos que participaram dessa pesquisa, cujos discursos são analisados com o uso da semiótica discursiva, da análise do discurso e dos estudos de gênero. Os resultados deste trabalho apontam um caminho rumo à construção de duas imagens dos sujeitos em questão (antes e depois da assunção de sua condição identitária) e a construção da imagem dos outros (família, sobretudo). Destaca-se, ainda, a passagem de uma primeira fase de repressão, seguida de uma fase de descoberta de si e, por fim, assumindo-se ou não perante o outro e suas repercussões positivas e negativas. Apresentam-se ainda possibilidades sobre as diversas formas de como as identidades podem ser construídas internamente e concebidas socialmente sob o prisma das relações familiares.    

Referências

AHMED, Sara. Vivir una vida feminista. Barcelona: Edicions Bellaterra, 2018.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria do discurso: fundamentos semióticos. 3. ed. São Paulo: Humanitas / FFLCH / USP, 2001.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria Semiótica do Texto. São Paulo: Ática, 1990.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Tradução: Renato Aguiar. 15ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira., 2017.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: Crítica da violência ética. Tradução: Rogério Bettoni. 1. ed.; 3 reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

DISCINI, Norma. O estilo do texto. São Paulo: Contexto, 2003.

FIORIN, José Luiz. As astúcias da enunciação. São Paulo: Ática, 1996.

FIORIN, José Luiz. Em busca do sentido – estudos discursivos. São Paulo: Contexto, 2008.

FIORIN, José Luiz. Semiótica e história. Cadernos de Letras da UFF–Dossiê: Linguagens em diálogo, 42: 15-34, 2011. Disponível em: . Acesso em: 04 de mar. 2019.

FIORIN, José Luiz. Sobre a tipologia dos discursos. Significação Revista Brasileira de Linguística, Araraquara, v. 8, n. 9, p. 91-98, 1990.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade 2: o uso dos prazeres. Primeira edição 1926. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque/Revisão técnica de José Augusto Guillon Albuquerque. 8ª ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

HALBERSTAM, Judith. Masculinidad feminina. Tradução: Javier Saéz. Barcelo: Editorial EGALES, 2008.

LANDOWSKI, Eric. A sociedade refletida. Campinas/São Paulo: Pontes/EDUC, 1992.

LANDOWSKI, Eric. Presenças do outro. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002.

LIRA, Aline Nogueira de; MORAIS, Normanda Araújo de; BORIS, Georges Daniel Janja Bloc. A homoparentalidade em cena: a vivência cotidiana de mulheres lésbicas com seus filhos. Rev. SPAGESP, Ribeirão Preto, v. 16, n. 1, p. 74-91, 2015. Disponível em . Acesso em: 27 jul. 2019.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de Textos de Comunicação. São Paulo: Cortez, 2002.

MAINGUENEAU, Dominique; CHARAUDEAU, Patrick. Dicionário de Análise do Discurso. São Paulo: Contexto, 2006.
Publicado
2020-04-24