Identidades em movimento:

Hermione(s) e a pedra filosofal

  • Nincia Ribas Borges Teixeira UNICENTRO
  • AMANDA Pieta Padilha
Palavras-chave: Personagem, Gênero, Identidade, Representação, Cultura.

Resumo

Hermione Granger é uma das personagens mais queridas dos leitores da série Harry Potter. Caracterizada, principalmente, pela sua dedicação aos estudos, a jovem bruxa é a melhor amiga do protagonista Harry e do colega Rony Weasley, que juntos vivem inúmeras aventuras ao longo da série. Devido a grande popularidade dessa personagem feminina, dentro de um universo mágico majoritariamente masculino, o objetivo deste artigo é elencar possíveis representações de Hermione no primeiro livro da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal (2000), refletindo sobre como elas colaboram para constituir os primeiros contornos da(s) identidade(s) da personagem. A partir do método hermenêutico, foram utilizadas as bases teóricas dos Estudos Culturais por Raymond Williams (2007) e Terry Eagleton (2000; 2006) para relacionar o conceito de cultura com o de identidade pós-moderna, definido por Stuart Hall (2001) e Zygmunt Bauman (2005). Além disso, as noções de gênero de Joan Scott (1995) e Linda Nicholson (2000) foram trazidas juntamente com as análises de Dresang (2002) para compreender como se dão as relações de poder e de diferenciação sexual na sociedade bruxa em Harry Potter, a partir da personagem Hermione.

Referências

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Tradução: Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.
BORDINI. Maria da Glória. “Estudos culturais e estudos literários”. In: Letras de Hoje, Porto Alegre, vol.41, nº 3.
CANDIDO, Antonio. “O direito à literatura”. In: Vários escritos. 5. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011, p. 171-193.
______. “A personagem no romance”. In: CANDIDO, Antonio et al. A Personagem de Ficção. São Paulo: Perspectiva, 1968.
CEVASCO, Maria Elisa. As dez lições sobre os Estudos Culturais. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.
DRESANG, Eliza T. “Hermione Granger and the Heritage of Gender”. In: Whited, Lana A. (org.). The Ivory Tower and Harry Potter: Perspectives on a Literary Phenomenon. Columbia/London: University of Missouri Press, 2002, p. 211-242. Disponível em https://harrypottersummer2011.files.wordpress.com/2011/05/hermione-granger-and-the-heritage-of-gender.pdf. Acesso em: 21 de maio 2018.
EAGLETON, Terry. A ideia de cultura. São Paulo: Editora UNESP, 2000.
______. Teoria da Literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
FERREIRA, Eliane Aparecida Galvão Ribeiro. ‘Uma Cinderela moderna e seus encantamentos: análise da obra Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J.K. Rowling’. In: DEBUS, Eliane Debus; MICHELLI, Regina (orgs). Entre fadas e bruxas - o mundo feérico dos contos de fadas para crianças e jovens. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2015.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Rio de Janeiro, RJ: DP&A Editora, 2011.
NICHOLSON, Linda. ‘Interpretando o gênero’. In: Revista Estudos Feministas. Florianópolis, vol. 8, n.2: 2000, p. 09-41.
ROCHA, F.N.; BERNARDINO, A.V.S. ‘O papel da identidade cultural e da representação social na construção da subjetividade na sociedade pós-moderna’. In: Revista Mosaico, 2013, Jan./Jun.; 04 (1): p. 35-39.
ROWLING, Joanne Kathleen. Harry Potter e a Pedra Filosofal. Rio de Janeiro: Rocco, 2000. SCOTT, Joan Wallach. Gênero: “Uma categoria Útil de Análise Histórica”. In: Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, jul/dez. 1995, p. 71-99.
TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. Tradução de M. Clara C. Castello. São Paulo: Perspectiva, 1998.
WILLIAMS, Raymond. Palavras-Chave: um vocabulário de cultura e sociedade. São Paulo: Boitempo, 2007.
Publicado
2019-02-18