Discurso literário

espaço de instauração discursiva

Autores

  • Jarbas Nascimento PUC-SP

DOI:

https://doi.org/10.47677/gluks.v22i01.272

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Literatura, Discurso Literário, Discurso constituinte

Resumo

Este artigo propõe como tema um estudo das possibilidades de concretização de um enlace entre a Análise do Discurso de linha francesa e a Literatura, instigando debates epistemológicos e dissolvendo impasses sobre a hipótese do discurso literário. Tratamos do desafio de romper o distanciamento entre Linguística e Literatura, há muito tempo afastadas, nos ambientes intelectuais, talvez, por conta de um rigor científico exigido para ambos os campos. Para quebrar essa ruptura, exigem-se competências e empenhos que vão além de questões estritamente discursivas e culturais, para incluir, na análise de diferentes textos, um investimento na construção de posicionamentos, na interlíngua, no código linguageiro, no enunciador e no processo criativo empreendido pelo autor. A partir disso, examinamos as particularidades do discurso literário, ressignificando-o na comunidade discursiva, a fim de desfazer uma crise de ruptura e perspectivar um aparato teórico-metodológico que unam esses dois campos. Os resultados desse trabalho evidenciam que a força do paradigma da interdisciplinaridade proposta por Kuhn e a hipótese de Maingueneau para o discurso literário ajudam-nos a superar o textualismo e apreender o literário em um cenário mais amplo, onde se tornam inseparáveis o texto, as condições sócio-históricas de sua produção e circulação, o dizer e o dito.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e Estética. 3a. ed. São Paulo: UNESP, 1993.

BENVENISTE, Émile. Problemas de Linguística Geral. Vol. 1. Trad. Maria da Glória Novak e Luiz Neri. São Paulo:Nacional/USP, 1970.

EAGLETONS, Terry. Teoria da Literatura: Uma introdução. Trad. Waltensir Dutra. São Paulo: Martins Fontes,

FARACO, Carlos Alberto. Zellig Harris: 50 anos depois. Revista Letras, Curitiba, n. 61, especial, p. 247-252, UFPR, 2003.

FAIRCLOUGH, Norman. Analysing discourse. Textual analysis for social research London: Routledge, 2003.

HACKING, Ian. Ensaio Introdutório. In: KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. 12. ed., São Paulo: Perspectiva, 2013.

HARRIS, Zellig. S. Discourse analysis. In: Papers in Structural and Transformational Linguistics. Holanda, D. Reidel Publishing Company, 1970[1952] p. 312-348.

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. Tradução Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira.12. ed., São Paulo: Perspectiva, 2013.

MAINGUENEAU, Dominique. Elementos de linguística para o texto literário. 1ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

MAINGUENEAU, Dominique. Pragmática e discurso literário: leitura e crítica. 1ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1994

MAINGUENEAU, Dominique. O contexto da obra literária. Campinas, Martins Fontes, 1995.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de texto de comunicação. Trad. Maria Cecília Pérez Souza-e-Silva. São Paulo: Cortez, 2001.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso literário. São Paulo: Contexto, 2006.

MAINGUENEAU. Dominique. A Análise do Discurso e suas fronteiras. Matraga. Rio de Janeiro, v.14, n.20, p.13-p.37, jan./jun. 2007.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso e análise do discurso. Trad. Sírio Possenti. São Paulo: Parábola, 2015.

MAINGUENEAU, Dominique. L’inquiétude de l’analyse du discours. In: Polifonia, Cuiaba-MT, v. 26, n.43, p. 01-357, jul.-set., 2019.

NORMAND, Ariane. Proposition pour l’induction en analyse du discours. In: Approches inductives en communication sociale. Volume 1, Number 1, Fall, 2014.

PÊCHEUX, Michel. Analyse automatique du discours. Paris: Dunod, 1969.

PÊCHEUX, Michel. A Análise de Discurso: três épocas. In: GADET, F.; HAK, T. (org). Por uma análise automática do discurso. 3 ed. Campinas: Unicamp, 1997, p. 61- 162.

SARTRE, Jean-Paul. O que é Literatura? São Paulo: Ática, 1993.

VAN DIJK, Teun A. Discurso e poder. São Paulo: Contexto, 2008.

Downloads

Publicado

2022-07-29

Como Citar

Nascimento, J. (2022). Discurso literário: espaço de instauração discursiva. Gláuks - Revista De Letras E Artes, 22(01), 78–92. https://doi.org/10.47677/gluks.v22i01.272

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.