A crônica no Brasil: um gênero em mutação

  • Dirceu Magri Universidade Federal de Viçosa - UFV
Palavras-chave: Crônica, Periódicos oitocentistas, Machado de Assis, Relações Literárias e culturais Brasil-França

Resumo

RESUMO: Trata-se de reflexões sobre uma das principais características da crônica: sua capacidade de adaptação (mutação) ao longo do desenvolvimento dos periódicos. Reflete-se ainda, neste estudo, sobre a transferência cultural França-Brasil, destacando-se os jornais como arcabouço de tal transposição. Por fim, ressalta-se a presença de grandes autores no gênero, em que ora atuam como romancistas, ora como cronistas e, dentre eles, Machado de Assis como um dos esteios da crônica no Brasil.

__________________________________

RÉSUMÉ: Il s'agit de réflexions sur l'une des principales caractéristiques de la chronique : sa capacité d'adaptation (mutation) tout au long de l'élaboration des périodiques. On réfléchit dans cette étude encore sur les transferts culturels France-Brésil, en particulier les journaux comme pivot de cette mise en œuvre. Enfin, on relève la présence de grands auteurs dans le genre, où ils jouent le rôle tantôt de romanciers, tantôt de chroniqueurs et, parmi eux, Machado de Assis comme l'un des piliers de la chronique au Brésil.

Referências

ALENCAR, José de. Ao correr da pena. In: Obras Completas. Vol. 4. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1960.
ANDRADE, Mário de. Paulicéia Desvairada. São Paulo: Casa Mayença, 1922. Edição fac-símile integrante de 1922 Caixa Modernista 2002.
ANTELO, Raúl. João do Rio - Salomé. In: A Crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, 1992.
ARRIGUCCI JR, Davi. Enigma e Comentário. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
ASSIS, Machado de. O Jornal e o livro. Correio Mercantil, Rio de Janeiro, 10 e 12/1/1859. In: Miscelânea. Obras Completas. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1973.
CANDIDO, Antonio. A vida ao rés do chão. In: A Crônica: o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, 1992.
LUCA, Heloisa H. Paiva de. A Poética de um gênero: Molière nas crônicas machadianas. 2004. 315 f. Tese (Doutorado em Língua e Literatura Francesas). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo: USP, 2004.
MACHADO DE ASSIS. O passado, o presente e o futuro da literatura. (A Marmota), Rio de Janeiro, 9 e 23/4/1858. In: Obras Completas. Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar, 1973.
________. Crônicas. História de quinze dias, 15.11.1877. Vol. 24. Rio de Janeiro: W. M. Jackson Inc. Editores, 1957.
MASSA, Jean-Michel. A juventude de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Editôra Civilização Brasileira S.A., 1971.
MICHEL Espagne. “La notion de transfert culturel”, Revue de Sciences/Lettres [En ligne], 1, 2013. URL : http://rsl.revues.org/219; DOI : 10.4000/rsl.219.
MEYER, Marlyse. Voláteis e versáteis, de variedades e folhetins se fez a crônica. In: A Crônica. Campinas: Editora da UNICAP, 1992.
NETTEMENT, M. Alfred. Études critiques sur le feuilleton-roman. Paris: Librarie du Perrodil, Éditeur, 1845.
PASSOS, Gilberto P. O Napoleão de Botafogo: presença francesa em Quincas Borba de Machado de Assis. São Paulo: Annablume, 2000 (Coleção Parcours).
Pereira, Lúcia Miguel Machado de Assis.
PERRONE-MOISÉS, Leyla. Galofilia e galofobia na cultura brasileira. Revista Gragoatá. Niterói, N º 11, 2º Semestre 2001.
SÁ, Jorge de. A crônica. São Paulo: Editora Ática. Série Princípios, 2005.
Publicado
2020-02-12