A voz da juventude nos interstícios narrativos

uma análise do discurso a partir do projeto outros olhares

Autores

Palavras-chave:

Adolescentes. Discurso. Leitura na escola. Narrativas literárias.

Resumo

Este estudo, com base em Candido (1994) e Larrosa (2003), discute a importância da narrativa literária na constituição do sujeito e apresenta um projeto de leitura, realizado com alunos de Ensino Médio em uma escola comunitária gaúcha, como objeto de análise. Pretende-se, em uma perspectiva discursiva e com base em Bakhtin (2006, 2010, 2011), analisar um roteiro e um curta-metragem produzido a partir da leitura de contos de Machado de Assis e, por meio deles, pretende-se averiguar a posição axiológica dos adolescentes, seu olhar sobre si e o outro, seus hábitos culturais, seus posicionamentos ideológico-políticos, seus traços identitários, seus sonhos e utopias. 

 

Biografia do Autor

Lovani Volmer, Universidade Feevale

Doutora em Letras, ênfase em Leitura e Linguagens, pela UCS/Uniritter, mestra em Letras, ênfase em Leitura e Cognição, pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC e graduada em Letras - Português/Alemão pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Professora da Universidade Feevale.

Luciano Santos, Universidade Feevale

Mestre em Letras pelo Mestrado Profissional em Letras da Universidade FEEVALE. Possui graduação em Letras: Português - Licenciatura Plena pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2007) e pós-graduação em Educação a Distância: Tutoria, Metodologia e Aprendizagem pela Sociedade de Educação Continuada - EDUCON (2009). Atualmente trabalha na Sala de Recursos Multifuncional com Atendimento Educacional Especializado (AEE) para alunos com necessidades especiais na EMEF 25 de Julho, escola da rede municipal de Campo Bom/RS. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Literatura, na área de Educação, com ênfase em AEE, Currículo, Coordenação Pedagógica e TICs. 

Leonardo van Leeuven, Universidade Feevale

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e, atualmente, cursando Mestrado em Sociologia no Programa de Pós-Graduação em Sociologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Integra o Grupo de Pesquisa Tecnologia, Meio Ambiente e Sociedade (TEMAS) na mesma Universidae, desenvolvendo pesquisa sobre uso da ciência e da técnica em processos de reparação ambiental. Tem interesse nos temas ligados aos Estudos Sociais sobre Ciência e Tecnologia, principalmente nos estudos relacionados aos imaginários sociotécnicos. Atualmente exerce atividades como professor de sociologia na Escola de Aplicação Básica Feevale.

Referências

BAKHTIN, M.. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 12ª ed. São Paulo: Hucitec, 2006.
______. Problemas da Poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense, 2010.
______. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.
BARTHES, R. Aula. São Paulo: Cultrix, 1989.
BAUMAN, Zygmunt. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1998.
______. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001
BENJAMIN, W. Erzählen: Schriften zur Theorie der Narration und zur literarischen Prosa. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 2007.
BEZERRA, P.. Polifonia. In: BRAIT, B.. (org.) Bakhtin: conceitos-chave. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2012, p. 191-200.
BRUNER, J. Realidade mental, mundos possíveis. Porto Alegre: Artmed, 1997.
CANDIDO, A. Vários escritos. 3ª ed. São Paulo: Duas Cidades, 1995.
FARACO, C. A.. Autor e Autoria. In: BRAIT, Beth. (org.) Bakhtin: conceitos- -chave. 5ª ed. São Paulo: Contexto, 2012, p. 37-60.
ISER, W. A interação do texto com o leitor. In: JAUSS, H.R. et al. A literatura e o leitor: textos de estética da recepção. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 83-132.
______. O fictício e o imaginário: perspectivas de uma antropologia literária. Tradução de Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: UERJ, 1996.
______. A indeterminação e a resposta do leitor na prosa de ficção. Tradução de Maria Angela Aguiar. Cadernos do Centro de Pesquisas Literárias da PUCRS – Série Traduções, Porto Alegre, v. 3, n. 2, mar. 1999.
JAUSS, H. R.A história da literatura como provocação à teoria literária. São Paulo: Ática, 1994.
LARROSA, J. La experiência de la lectura: estudos sobre literatura y formación. México: Fondo de Cultura Económica, 2003.
SEARLE, J. R. O estatuto lógico do discurso ficcional. In: _______. Expressão e significado: estudo das teorias dos atos da fala. Tradução de Ana Cecília G. A. de Camargo e Ana Luiza Marcondes Garcia. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

Downloads

Publicado

2020-04-24

Como Citar

Volmer, L., Carvalho, A. C., Santos, L., & Leeuven, L. van. (2020). A voz da juventude nos interstícios narrativos: uma análise do discurso a partir do projeto outros olhares. Gláuks - Revista De Letras E Artes, 19(1), 254-273. Recuperado de https://revistaglauks.ufv.br/Glauks/article/view/127