Valter Hugo Mãe: o colecionador de palavras na representação do eu e do outro (homens imprudentemente poéticos)

  • Ana Paula Arnaut
Palavras-chave: literatura

Referências

BOTELHO, Abel – O barão de Lavos [em linha]. Porto: Livraria Chardron, 1898. [Consultado em 16
de dezembro de 2016]. Disponível na internet: URL: .
CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT Alain – Dictionnaire des symboles, Paris, Robert Laffont/Jupiter,
1982.
LEVIN, Harry – “The Title as a Literary Genre”. Modern Language Review. Vol. 72, no1, January (1977),
p. xxiii-xxxvi.
MÃE, Valter Hugo – O nosso reino. Matosinhos: Quidnovi, 2004.
MÃE, Valter Hugo – O remorso de Baltazar Serapião. Matosinhos: Quidnovi, 2006.
MÃE, Valter Hugo – O apocalipse dos trabalhadores. Matosinhos: Quidnovi, 2008.
MÃE, Valter Hugo – Homens imprudentemente poéticos. Porto: Porto Editora, 2010.
MÃE, Valter Hugo – O filho de mil homens. Carnaxide: Alfaguara, 2011.
MARQUES, Carlos Vaz – Os escritores (também) têm coisas a dizer. Lisboa: Tinta da China. 2013.
PESSOA, Fernando – Fernando Pessoa. Obra poética e em prosa. Vol. I. Int. org., biobliografia e
notas de António Quadros e Dalila Pereira da Costa. Porto: Lello & Irmão. 1986.
REAL, Miguel – “O Neo-Naturalismo”. Jornal de letras, artes e ideias, 19 de julho (2006), p. 22.
REAL, Miguel – “Sem tecto, entre ruínas”, in Jornal de letras, artes e ideias, 27 de janeiro (2010), p. 10.
REAL, Miguel – “A epifania do amor”, in Jornal de letras, artes e ideias, 5 de outubro (2011), p. 13.
SARAMAGO, José –Manual de pintura e caligrafia. Lisboa: Caminho, 1985) [1977].
SARAMAGO, José – Memorial do convento. Lisboa: Caminho, 1982.
SARAMAGO, José – História do cerco de Lisboa. Lisboa: Caminho, 1989
Publicado
2019-02-04